05 novembro 2009

uma espécie de manifesto

Aproveitando a conjuntura política, sobretudo o facto de o partido do governo não deter agora a maioria absoluta  e um período que se espera de negociação séria  (...) seria bom que todos nós, professores, clarificássemos as nossas aspirações/ exigências / insatisfações, que:
  • por um lado, não se limitam, nem de longe nem de perto, ao ainda vigente modelo de avaliação dos professores
  • que são, ao mesmo tempo, sugestões para a melhoria do sistema educativo em Portugal.
    É, ao fim e ao cabo, a contribuição dos que verdadeiramente estão 'por dentro' dos assuntos da Educação - agentes no terreno, que sabem identificar necessidades e erros, partindo, é óbvio, de PRINCÍPIOS EM TUDO CONTRÁRIOS AO ECONOMICISTA!! Se se podem dar 'esmolas' de milhões a bancos infractores, se continuam a atribuir-se reformas milionárias (em duplicado, triplicado,.. a políticos e gestores), se .. etc, etc, etc, .. com muito maior razão se deverá INVESTIR NA EDUCAÇÃO, que, queiram eles ou não, representa o futuro: da democracia, e do país.

    Dizemos:

    • NÃO A ESTE ECD
    • NÃO À DIVISÃO DA CARREIRA EM PROFESSORES E TITULARES
    • NÃO A ESTE MODELO DE GESTÃO AUTOCRÁTICO
    • NÃO A ESTE MODELO ABSURDO DE AVALIAÇÃO
    • NÃO AOS HORÁRIOS SOBRECARREGADOS E ESBURACADOS
    • NÃO A ESTE ESTATUTO DO ALUNO
    • NÃO À BUROCRATIZAÇÃO DO ENSINO

    • PELO RESPEITO À DIGNIDADE DOS PROFESSORES
    • POR CRITÉRIOS DE EXIGÊNCIA E QUALIDADE
    • POR TURMAS MAIS PEQUENAS (não mais de 20 alunos)
    • POR CURRÍCULOS REDUZIDOS DOS ALUNOS (não mais de 10 disciplinas)
    • PELA EXTINÇÃO DAS NACs (novas áreas curriculares - não disciplinares)
    • POR UM MAIOR SUPLEMENTO DE HORAS PARA OS DIRECTORES DE TURMA (equiparado a serviço lectivo)
    • POR UMA BOLSA DE PROFESSORES SUBSTITUTOS que acabe com a actual farsa das aulas de substituição
    • POR UMA BOLSA DE ANIMADORES SOCIO-CULTURAIS para ocupação de tempos livres para além do horário escolar e/ ou nas férias
    • POR CRITÉRIOS DE EXIGÊNCIA NOS CEFS E CURSOS PROFISSIONAIS

    • PELO RECONHECIMENTO DA ESPECIFICIDADE DA PROFISSÃO E DO DESGASTE A ELA INERENTE
    • PELO DIREITO A PAUSAS AO LONGO DO ANO (reais, para professores, alunos e funcionários), à semelhança do que acontece na UE: 1 a 2 semanas em Novembro, 2 no Natal, 1 ou 2 no Carnaval (ou a meio do II período), 2 na Páscoa, 1 no Pentecostes - Maio ...[ Em França, por exemplo, há uma semana de férias depois de cada 6 de aulas..] ; [nalguns países, Espanha, por exemplo, os professores têm, no verão, mais um mês de férias do que nós ]
    • PELA REDUÇÃO DA IDADE DA REFORMA
    • PELO AUMENTO DAS HORAS DE TRABALHO INDIVIDUAL, A REALIZAR EM CASA e considerando tipo de disciplina, n.º de alunos e de níveis de leccionação, e idade!)

    POR UMA ESCOLA PÚBLICA DE QUALIDADE
    PELO FUTURO

    2 comentários:

    Margarida Alegria disse...

    Totalmente de acordo, ponto por ponto!

    Fliscorno disse...

    Apesar de não ser professor, não posso deixar de concordar.